A criatividade do Social Media

A gente veio de um 2020 difícil com uma projeção de 2021 ser ainda mais complicado. Pois ele tá mais do que cumprindo, infelizmente. Situações externas que fogem do nosso controle, mas que nos afetam de forma direta. Isso nos faz ter sentimentos de que a capacidade criativa do social media foi embora e vai custar a voltar. As legendas criadas no modo automático não te representam, mas está fazendo parte da rotina, não é mesmo?

Dia desses conversei com alguns amigos sobre a minha saudade de viver. Desde o começo da pandemia sinto que só estou existindo. Mesmo que eu me enquadre em um cenário cheio de privilégios, falta o básico: bom senso das pessoas.

Cobrança injusta

Claro que eu sei que a pressão pela criatividade não é exclusiva do social media e nem mesmo do setor de comunicação ou publicidade. A inovação pode estar presente em diversos momentos e é nos mais árduos que ela pode ganhar destaque. Porém, existe um problema ainda maior. Falta o respeito pelo tempo do processo.

Se fosse tão fácil agradar o público, os cantores lançariam álbum de 12 faixas todos os meses. Alguns fazem isso uma vez por ano e olha lá. Outros descobriram que podem lançar uma música de tempo em tempo. Os mais consolidados, testam batidas e ritmos diferentes. Se aventuram em parcerias e incluem elementos que não eram presentes antes. Mas, a maioria deles deixaram o modelo engessado de gravadora para trás e criaram seus próprios escritórios e processos. A pressão é cruel mesmo com quem lucra milhões, imagina para quem trabalha com redes sociais.

Eu já falei em outro post sobre produtividade e como ela está relacionada à era industrial. Pode ter certeza que se houvesse um jeito de criarem 10 postagens com arte e legendas extremamente criativas e assertivas em apenas 1h através de inteligência artificial e máquinas, isso já teria sido feito. Isso sim é uma produção, o que a gente faz é outra coisa já que está relacionada com o ato de transformar ideias novas e originais conteúdo.

Lado lógico e lado criativo

Apesar de algumas pessoas nascerem mais criativas do que outras, posso afirmar com 100% de certeza que não se trata de um talento nato, aquelas habilidades ‪que não precisam ser treinadas. Vai ser mais natural para alguns e mais processual para outros, mas é preciso colocar combustível para fazer o carro andar.

Todos nós temos dois hemisférios cerebrais, um responsável pelo lado lógico e o outro pelo lado criativo. A descoberta foi de um cientista norte-americano, Roger Sperry ganhou o Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia em 1981.

“Quando o cérebro está completo, a consciência unificada dos hemisférios esquerdo e direito soma mais do que as propriedades individuais dos hemisférios separados.”

Segundo a pesquisador, precisamos dos dois lados do cérebro para desenvolver nossas atividades. O social media desenvolve o planejamento, controla as postagens, realiza as interações e analisa os resultados usando o lado esquerdo. Já para criar conteúdos em texto, imagens ou vídeo, utiliza o lado direito. Fazemos isso o tempo inteiro de forma integrada, sem perceber, na velocidade do mundo e não na nossa.

De onde vem a tal criatividade?

Não existe uma única fonte, a criatividade tem uma composição variada e única, o que me impede de citar fórmulas. O que funciona para uma pessoa, pode não funcionar para outra justamente pela essência de cada ser humano ser única.

Nossa bagagem criativa começa a ser criada desde a infância e nos acompanha por toda a vida. Pense como uma prateleira que ainda tem espaço para caber mais livros. Os fatores são ilimitados e podem ser desenvolvidos, mas não podemos ignorar o contexto atual da nossa sociedade. O estimulo para novas ideias e criações nasce do convívio da família e é alimentado pela educação. Mas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019, apenas 8,7% da população do Brasil possui formação em curso superior, correspondendo a um total de 18,3 milhões de pessoas.

Outro momento que contribui para a construção do nosso lado criativo é a experiência. Quando nos relacionamos com pessoas que possuem interesses em comum e completamente diferentes, aumentamos o repertório de ideias e processos que podem ser explorados. Isso acontece muito nas agências de comunicação e publicidade, se não fosse a exigência da própria experiência. O Núcleo Brasileiro de Estágios (NUBE), divulgou uma pesquisa que mostra apenas 14,87% dos recém-formados que pegaram o diploma em 2019 e 2020 conseguiram vagas nas suas áreas de formação após três meses da formatura. Outros 20% já graduados acabam atuando em atividades relacionadas às suas profissões e com poucas vagas, migram para funções que exigem nível fundamental ou médio.

Ainda que eu tenha uma condição de privilégio, sendo formada e com experiência, adotei meus métodos para o desenvolvimento de projetos criativos.

💻 INTERNET: Quando eu comecei, não havia cursos e conteúdos em abundância. O conhecimento sobre redes sociais pertencia a quem pudesse viajar e fazer imersões no exterior. Qualquer coisa que a gente queira aprender ou saber, é só dar um Google. Mas, é preciso ter consciência para separar o joio do trigo. Nas redes sociais, sigo somente perfis e páginas que me agregam profissionalmente. No meu e-mail, recebo as melhores newsletters e alertas do Google. No Twitter consumo as listas específicas sobre notícias de tecnologia. Nem preciso citar blogs e Youtube, foi assim que criei os meus próprios canais.

🗣 RELACIONAMENTOS: Ao longo dos anos, conheci muita gente pelos trabalhos que passei e dificilmente perdi o contato totalmente. Sempre que posso, converso sobre as situações e novidades do mercado. Formei um grupo forte de se comunica com frequência e isso me fortalece mais do que minhas amigas imaginam. Essa troca é super valiosa e já conseguimos solucionar vários problemas oferecendo um ombro e suporte técnico também.

📖 LIVROS: Tento centralizar no momento e nos projetos para escolher alguns títulos. Separo uma quantia do meu orçamento de seis em seis meses para comprar entre 5 e 10, dependendo dos valores. Ainda tenho como opção, o Kindle Unlimited que tem várias opções de consumo rápido sempre que preciso fazer consultas específicas.

🛌 FAZER NADA: Depois que pedi demissão e me vi trabalhando por conta própria, as coisas na minha cabeça não se organizaram tão rapidamente. Foi assim que aprendi o poder do descanso e de diminuir o ritmo de entregas. Entendi que o valor das demandas não estava no dinheiro e o custo a se pagar pela pressa era muito caro. Não se compra a saúde mental e física perdida.

🎥 FILMES E SÉRIES: Vão te recomendar assistir tudo que for relacionado a empreendedorismo e o que tiver lições de vida ou moral, mas tudo que eu mais queria nessa pandemia era assistir o especial de Sandy e Jr mais todas as temporadas do The Circle e tá tudo bem, viu? Não existe aquilo de ou você lê livros ou assiste o BBB.

🧠CONSCIÊNCIA: No se iluda com o coach de social media que reproduz de forma equivocada um discurso de “é só querer”. Não existe nenhuma profissão tão incrível a ponto de nos deixar cegos. A gente que finge que acredita. Quem entende que tem muita gente esgotada não esquece de cuidar de si mesmo. Com o tempo, você aprende quando é o momento de se desconectar das redes sociais e principalmente não se culpar pela falta de criatividade.

Precisamos de alternativas para fazer posts criativos, certo? Mas, será que isso vai acontecer todos os dias? Sempre?

Se inscreva na minha Newsletter!

Sem spam, só o que interessa sobre a Vida de Social Media.

Redes Sociais

Mais artigos

Posts recentes

Como BAIXAR Ícones e em PNG no Flaticon

Hey, social media! Você que sempre procura por ícones focinhos para usar nas publicações, trago uma dica. O Flaticon tem zilhões de ícones e disponibiliza individualmente alguns grátis e outros

Como colocar senha no TikTok

O recurso de senha do TikTok vai te ajudar a limitar o tempo que você ou que alguém que você precisa ficar de olho, passa dentro do aplicativo. Basicamente, você

Fica de 👀  no seu e-mail que eu tô chegando com uma news lindinha. Me tira do SPAM, hein? 😇