Mentoria para Social Media

O que é a mentoria para social media?
O mentoring é um termo em inglês que pode ser traduzido pode mentoria, tutoria ou apadrinhamento. Trata-se de uma ferramenta de desenvolvimento profissional que consiste em uma pessoa com experiência ajudar outa com menos experiência.

A figura do mentor remete a alguém que funciona como um guia, um profissional que já viveu várias camadas de um determinado mercado. Mas, não é só isso. É necessário ter muita responsabilidade e compreensão sociológica e psicológica, além de outros aspectos de vida que podem interferir no desempenho, mesmo que não sejam ligados ao campo profissional.

O processo visa atingir objetivos específicos através de sessões em grupos ou individuais, utilizando todo o potencial do mentor. O que torna muito mais eficiente do que consultoria ou treinamento, uma vez que para que a mentoria funcione, é necessário que existe uma conexão e relação entre as partes.

Mentoria para profissionais digitais
Na mentoria profisas digitais eu uso a minha experiência para ajudar pessoas que trabalham com internet e redes sociais a trilhar um caminho que eu já percorri. Te conto tudo que dá certo e o que deu errado também. Trocamos ideia, conversamos, definimos metas, objetivos, descobrimos o melhor jeito para que você tenha uma aceleração nos seus resultados, sejam eles quais forem.


Existem diferentes formas para desenvolver pessoas e a que eu acho mais assertiva é a mentoria quando existe admiração, inspiração, confiança e aprendizado. Afinal, essa é uma via de mão dupla pra quem acredita que não existe fórmula pronta que sirva para todo mundo.


A estrutura da mentoria profissas não é engessada, ou seja, ela se adapta exatamente ao seu tempo, objetivos e necessidades. É um processo humanizado e organizado com começo, meio e fim. Além é claro, do alinhamento de expectativas e do acompanhamento bem de pertinho pra te elogiar ou puxar a sua orelha, se for necessário.

Quem pode fazer
Profissionais do conhecimento como eu adoram compartilhar, ouvir, falar e se engajar. Se você está passando por algum dilema na sua carreira, precisa organizar e otimizar processos, deseja fazer a transição de CLT pra PJ, está com dificuldade de prospectar clientes, ainda não encontrou o seu propósito no trabalho, se acha “velha” demais para recomeçar ou está completamente perdido no personagem nas suas redes sociais. Vem que eu pego na sua mão e te apoio nessa louca e linda jornada que chamamos de vida digital.


Mas, para que isso aconteça, a gente precisa dar match. No site que está na descrição desse vídeo, você encontra um painel com as minhas principais características, tipos de experiência, áreas de conhecimento, temas de interesse e canais com conteúdos. Se depois de me conhecer melhor, você achar que formamos uma bela dupla de trabalho, é hora de arregaçar as mangas e começar.

Será que a gente dá match?
Antes de começar um trabalho utilizando a ferramenta de mentoria, é preciso identificar se você combina com o mentor e vice-versa. Ao preencher o formulário, você vai me passar algumas informações para que eu avalie o seu perfil, mas antes eu quero que você me avalie. Eu vou usar esse espaço para contar a minha jornada até aqui e você vai decidir se temos muito em comum e se podemos dar match formando uma boa dupla.


Sou filha de educadora que só voltou aos estudos depois que eu já era grandinha. Minha mãe começou como faxineira e se aposentou como professora, coincidentemente na mesma escola. Meu pai não concluiu os estudos, começou a trabalhar adolescente na feira, conseguiu uma oportunidade em uma multinacional e lá ficou por mais de 25 anos até ser substituído por um estagiário.


No colegial, conheci uma professora de português maravilhosa, que eu carrego comigo até hoje. Através de uma atividade, ela nos ensinou a escrever um artigo e editar uma notícia que escolhíamos das revistas. Minha paixão pelo jornalismo nasceu nesse instante. Eu tive muito mais oportunidades escolares que os meus pais. Cursei os bacharelados de Comunicação Institucional e Jornalismo, depois as especializações de marketing, redes sociais e audiovisual. Tive acesso à inúmeros livros, treinamentos e mentores.


Comecei a minha carreira no radiojornalismo, em 2008 e um ano depois, o diploma para o exercício da profissão de jornalista já não era mais obrigatório. Ao mesmo tempo, a internet evoluía em uma velocidade avassaladora e intuitivamente eu aprendia tudo sobre Orkut e MySpace. A partir de 2010, eu comecei efetivamente a trabalhar com redes sociais e tive os meus primeiros resultados financeiros. Passei por empresas pequenas e médias, trabalhando como CLT em funções que se pagava pouco e exigia muito além de habilidades digitais ou competências de trabalho. Eu pensei em mudar de área várias e várias vezes até que tomei coragem e pedi demissão do emprego dos meus sonhos somente com um cliente no segmento de estética. Senti medo, insegurança e impotência, em poucos meses voltei para o mercado em uma agência. Gerenciei pessoas e carteiras, mais de 50 clientes atendidos e uma crise de burnout. Eu cheguei no meu limite e ultrapassei todos eles mais de uma vez. Até que a minha saúde me cobrou. Eu me sentia incapaz de fazer o que eu fazia, estava exausta, cansada, esgotada. Pedi demissão de novo e fiz tratamento com médico e remédio. Foram meses confusos em que eu comecei a estudar o que a internet nos oferece de pontos positivos e negativos. Até que eu entendi que a gente pode fazer desse um ambiente que valoriza o que nos motiva, lembrando sempre que tudo tem o seu lado b.

Eu aprimorei a minha consciência digital, incrementei os meus serviços, ajustei a minha rota, adaptei o meu modelo de negócio e finalmente me tornei CEO de MEI, como eu costumo brincar. Trabalho sozinha, contratando pontualmente outros profissionais, de acordo com o projeto digital. Como estrategista, atendo desde multinacionais até profissionais liberais e negócios locais. Implementei a mentoria em muitos atendimentos e os resultados foram extremamente positivos. Afinal, as mesmas estratégia elaboradas para uma diretora internacional não valem para uma dentista. Os objetivos podem ser os mesmos, mas a construção de uma jornada é individual. Por isso que eu formatei a Mentoria Social Media, pra pegar na mão de quem se sentia como eu. Sem perspectiva de futuro, sem visão do que fazer para crescer, de modo mudar um pensamento, de como ser estratégico nos conteúdos, como elaborar um posicionamento adequado. Enfim, eu posso contribuir de várias maneiras.

Mais artigos

Posts recentes

Fica de 👀  no seu e-mail que eu tô chegando com uma news lindinha. Me tira do SPAM, hein? 😇